Control, alt, del.

Tenho essa mania (que eu ainda não descobri se é um defeito terrível ou uma grande qualidade) de achar que nunca é tarde. Que nunca é tarde para perdões ou recomeços. Pra retomar as rédeas, ser o guia da própria vida. No fundo, ninguém quer realmente entregar tudo à sorte. E todo mundo tem o direito de se dar segundas, terceiras, quantas chances forem necessárias.

Recomeçar é parar de andar em círculos, analisar a perspectiva toda pra poder dar um bom e certeiro passo pra frente. A coragem pra reconhecer que o trem descarrilhou demora a vir, e chega de mansinho e em doses homeopáticas. O frio na barriga está sempre ali, pra lembrar de que não é tudo um rascunho pra que a gente possa cometer todos os erros do mundo e depois passar a limpo. O tempo passa rápido e pode atropelar quem quiser sem enganar. Mas há momentos em que as solas dos pés ganham raízes profundas, que crescem pra dentro do chão. A gente vai murchando ali e não consegue ir a lugar algum. A vida paralisa.

Quando tudo congela na nossa frente, não resta outra alternativa senão dar um boot. E começar tudo de novo. Quero ser melhor: estou começando tudo de novo. E não posso deixar ninguém me empurrar.

Anúncios

Tags:

Uma resposta to “Control, alt, del.”

  1. alexandre Says:

    eu quero te empurrar sempre, mas pra cima, só.

    recomeçar sempre, eu tb acredito.
    :* :* :*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: